Fabris renúncia por diferenças políticas em Caxias do Sul

Fabris anunciou saída após 65 dias no cargo | Foto: Roni Rigon 

Na história recente de Caxias do Sul não houve prefeito ou vice-prefeito que tenha renunciado ao cargo por diferença política com o colega de chapa, a exemplo de Ricardo Fabris de Abreu, que pediu exoneração nesta segunda-feira. Conforme a historiadora Loraine Slomp Giron, prefeitos e vices deixaram o posto antes do final do mandato para assumir secretarias no Estado ou vagas legislativas na Assembleia ou na Câmara dos Deputados.

A avaliação de Loraine abrange o período em que a cidade passou a ser governada por prefeitos, a partir de 1930. Antes disso, o Executivo esteve sob o controle de intendentes.Euclides Triches foi o primeiro prefeito em Caxias a renunciar, em 1954, pouco mais de dois anos após ter sido eleito. Ele assumiu uma pasta no Estado a convite do então governador Ildo Meneghetti.

Dois anos mais tarde, Ruben Bento Alves declinou do cargo por ter conquistado uma vaga como deputado estadual. Em 1973, Mário Bernardino Ramos assumiu a prefeitura, de onde saiu em 1975 para conduzir a pasta estadual de Turismo no governo de Sinval Guazzelli.

Na gestão do então prefeito José Ivo Sartori, o vice Alceu Barbosa Velho também renunciou para assumir como deputado estadual, em 2011.

— Todos que renunciaram tinha algum objetivo, para assumir outros cargos. É a primeira vez que fico sabendo desse tipo de renúncia (de Ricardo Fabris de Abreu) — aponta a também historiadora Tânia Tonet.

Fonte: Agencia RBS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *