Régis Mubarak – Não existe sangue igual ao nosso

Não existe sangue igual ao nosso

Não é sobre o orgulho de ser gaúcho. Não é sobre nosso sangue gaudério, metade Chimango, metade Maragato. Metade Gremista, metade Colorado. Não é sobre as raízes da Bacia do Prata que abraçam na memória vastas extensões do Pampa Rio Grandense e nos mesclam aos nossos meio irmãos Argentinos, ora do lado da mãe, ora do lado do pai, derrubando fronteiras num ritmo tão contagiante quanto ao do chamamé. Pois no íntimo, alguns de nós, os fronteiriços, por sermos “meio bastardos” nos desafiamos a todo instante uns aos outros por insignificâncias, justamente por carregar esse peso, da falta de reconhecimento dessa paternidade atávica sob nossos ombros!

Não é sobre nossos primos Catarinenses e suas praias abençoadas. E também não é sobre nossos primos mais distantes, os simpáticos Paranaenses. É sobre o sangue vermelho, ora tinto como o mais excitante dos vinhos envelhecidos, ora marrom e arrebatador como a terra sagrada, onde nossos antepassados pisaram aqui séculos atrás.

Não existe outro sangue igual ao nosso e ninguém, ninguém poderá provar o contrário! Não haverá nova colonização nem bárbara invasão. Já extinguimos a escravidão e nos falta muito pouco para finalmente extinguirmos todos os preconceitos. Somos uma jovem Nação ainda em construção. Em afirmação. Em ebulição. Com hormônios a flor da pele, acasalando livremente e “criando novos DNAS” de novos seres humanos: italianos, espanhóis, holandeses, franceses, africanos, libaneses, indígenas, japoneses, alemães, russos, uruguaios, turcos, poloneses e quem mais desejar se integrar a essa vibrante Nação outrora batizada de Terra de Santa Cruz!

Não é sobre o sangue Escocês e sua história fascinante. Não é sobre o povo Chinês e sua triunfante marcha sobre si mesmo. Não é sobre o povo Canadense e sua generosidade em acolher a todos indistintamente. Não é sobre os Maoris e sua cultura eletrizante. Não é sobre os batalhadores Indianos. Nem sobre os adoráveis Mexicanos.  A cada povo, reverencia-se sua história, geografia, trajetória, lutas e batalhas ganhas ou perdidas, onde sangue inocente de filhos e filhas se derramou a cântaros até alcançar a tão sonhada liberdade. Não existe outro sangue melhor que o nosso. Não existe sangue pior que o nosso. E dificilmente existirá outro sangue igual ao nosso!

Somos todos seres humanos, seres da espécie humana! Mais de 7 bilhões de almas a povoar um Planeta chamado Terra. E não falaremos nesse texto (e contexto) de outros Planetas, em outros Quadrantes, em outras Galáxias, em outros Universos. Hoje somos mais de 7 bilhões de habitantes na Terra e mais de 200 milhões dessas almas vivendo num adorado país chamado Brasil, a Terra da Santa Cruz, do Cruzeiro do Sul, do Novo Mundo que está sendo gestado (dolorosamente) já há algum tempo…

Não falaremos das múltiplas correntes: cristãos, muçulmanos, judeus, espíritas, gnósticos, ateus, umbandistas e as outras dezenas. Sua significação e seu simbolismo são apenas grandiosos num mundo de visão ainda limitada, onde regras e normas (além de muros), separam mais do que unem homens e mulheres entre si. Aqueles que sabem da verdade que já está bem próxima de ser revelada, desfrutam da sensação de saciedade contemplativa, energia abundantemente compartilhada, eliminando tormentos de um espírito solitário, transcendendo para além de dores físicas. Almas fortalecidas por frequências ainda não acessíveis a todos, mas que em breve disponíveis assim estarão. Porque definitivamente eis que “a grande equipe,” “o time maior,” “a galera do bem,” “o pessoal acima de qualquer suspeita,” “mestres” e “almas iluminadas” “muitos e muitos graus” acima da própria compreensão do senso comum, já trabalham em prol do crescimento dos habitantes do Planeta Terra. Simples assim… acredite…

Não que sua crença religiosa ou filosofia de vida não tenha relevância e deva ser desconsiderada, descartada. Refiro-me ao tamanho, a intensidade da sua Fé num Criador acima de todas as coisas deste Mundo e de outros Mundos. De outros Quadrantes. De outras Galáxias. E em outros Universos. Um incomparável ser Criador e sua onipotência e seu Poder Divino e “o seu (nosso) botão da Fé,” dentro do seu (nosso) coração que precisa ser acionado para chegar até “Ele,” em qualquer circunstância, em qualquer momento, através de um sentimento único chamado Amor. Sentimento genuíno que elimina barreiras, angústias, ressentimentos, ódios e impede os homens (e mulheres) de se mutilarem, se destruírem, se matarem e matarem-se uns aos outros!

Então eis a explicação da afirmativa de não existir outro sangue igual ao nosso, que corre nas veias desse esplêndido território brasileiro. Terra escolhida para o futuro que já está perto de seu alvorecer. Lugar para onde diversos povos convergiram. Todos os imigrantes são bem vindos. Todas as etnias se mesclaram. Lugar único e repleto de magia ancestral: onde católicos, muçulmanos, umbandistas, judeus, ateus, espíritas e outras centenas de credos, matizes, religiões e filosofias sempre foram e sempre serão acolhidos, irmanados e integrados, respeitando-se mutuamente numa liberdade vívida!

Desfrutando do mesmo peso e da mesma medida, da mesma importância como espécie, espécie de “Seres Humanos” e não “Seres Reptilianos de Sangue Verde,” operando por trás desses governos ocultos, governos das sombras, que sistematicamente vem implantando terror ao redor do planeta, jogando irmãos contra irmãos, pessoas contra pessoas, grupos contra grupos, ideologias, filosofias, religiões. Espoliando, escravizando, fazendo sangrar nações inteiras. Não existe sangue melhor que o nosso!

Sangue que não será desperdiçado, derramado em qualquer circunstância, situação ou inglórias batalhas. Eis o tempo das ideias. Dos grandes líderes. Da esperança fulgurante. Do nascer de novos homens e mulheres. De jovens promessas e grandes talentos. De pessoas investidas de caráter sólido, de força e fé revigoradas no poder da oração, da sabedoria e principalmente conscientes, do poder da fala, da escuta e do diálogo aberto e franco! Porque para além do que os olhos veem, os ouvidos ouvem ou a mente consegue absorver, existe outro mundo oculto, sombras, trevas e escuridão, que já estão sendo combatidos e eliminados, para fora da nossa jovem Nação, de nosso Hermano Continente, para fora do Planeta Terra!

Chamem de Guerra se quiserem! Eu prefiro chamar de Limpeza! De Mudança! De Transformação! Renascimento! E vitória da Luz! Eis a hora das revelações, do nascimento de uma Nova Era, de um Novo Tempo, de um Novo Mundo, um Novo Mundo em Expansão, cujo Brasil e os Brasileiros de “todas as cores e suas incríveis e exuberantes misturas,” estão sendo e serão chamados para comporem o protagonismo, a liderança. Novos e majestosos líderes de uma Nova Revolução!

E para os céticos, os pessimistas, os incrédulos, os derrotistas, os nefastos, dentro em breve não serão sinais prodigiosos a riscar os céus sobre nossas cabeças, mas ações concretas e mãos firmes de pessoas admiráveis que surgirão. Magníficas ideias, compartilhamento, cooperação, união e um coração aberto que irão construir esse Novo Brasil, esse Novo Continente, esse Novo Mundo. E nenhuma gota do nosso precioso sangue vermelho, tinto, vinho, marrom, terra, coração, precisará cair para fazer nascer essa nova e abençoada Terra de Santa Cruz e de oportunidade igual para todos!

 

Régis Mubarak
Graduanda em Gestão Ambiental – UNOPAR. Especialista Técnica em Gestão Contábil – CNEC, Marketing – SENAC e Saúde Pública PMI/UNASUS
Pesquisadora AVA SARU em Exobiologia e Tecnologia da Informação
Escreve para Jornais Impressos na Região Sul e Portais de Notícias da Internet

loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *