Temer decide processar Joesley Batista

Em entrevista à revista Época. delator da JBS acusou o presidente de ‘chefiar uma organização criminosa’

O presidente Michel Temer (PMDB) informou, em nota oficial do Palácio do Planalto, neste sábado, que vai processar o empresário Joesley Batista, da J&F, após a entrevista do executivo à revista Época. Joesley, delator da Operação Patmos, desdobramento da Lava Jato, acusou o presidente de ‘chefiar uma organização criminosa’. As informações foram divulgadas pelo jornal O Estado de S.Paulo.

De acordo com o Planalto, Temer vai tomar “todas as medidas cabíveis” contra Joesley. A nota detalha que na segunda-feira, serão protocoladas ações civil e penal contra o empresário.

Na entrevista, o empresário deu detalhes do relacionamento com o presidente, relatou como o conheceu e quem eram os aliados e interlocutores dele junto à JBS. Sobre o grupo político do presidente, segundo Joesley integrado por Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima, Henrique Alves, Eliseu Padilha e Moreira Franco, o empresário disse que é “a maior e mais perigosa organização criminosa desse país.”

Segundo Temer, “em entrevista à revista, esse senhor (Joesley) desfia mentiras em série”. Em nota, o Planalto sustenta que “fatos mostram que Joesley é bandido notório de maior sucesso na história brasileira”.

O presidente recebeu Josley na noite de 7 de março no Palácio do Jaburu. O executivo gravou a conversa com Temer, por cerca de trinta minutos.

O empresário narrou uma sequência de crimes como o pagamento de ‘mensalinho’ ao procurador da República Ângelo Goulart e mesada milionária a Eduardo Cunha (PMDB/RJ), em troca do silêncio do ex-presidente da Câmara, preso na Operação Lava Jato desde outubro de 2016.

Temer admite ter recebido Joesley, mas sustenta que o áudio foi manipulado e adulterado.

R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *