Orci Machado – UM FIAMBREZITO ESPECIAL

I

Partes agora, empurrando o matambre

pero de resto; que pena eu diria.

Se, como vieste,

vais de alma vazia;

II

leva estes versos para um melhor fiambre*!

Traíste os guapos; puseste de luto,

a  causa nobre pela qual lutamos;a si,

abarcaste o que conquistamos;

III

digere agora pois, o teu tributo!

Não se sabia que o pior inimigo

é o que dá as costas; abandona a causa;

volta  qual sorro, depois de uma pausa;

mata a vitória pra servir o umbigo!

IV

Te queixes nunca,  vê se não esqueces

e despacito, põe na tua balança;

o melhor saldo da tua poupança; não é amargo,

é o que tu mereces!

V

És mui buenacho, qual mata de pínus;

estragas tudo o que te está à volta;

vai te coçar, agora que te soltas;

com teu igual, cacique Venturinus!

VI
O teto, o chão sagrado onde pisaste;

que pena tenho, sua sorte caolha;

por não poderem fazer sua escolha;

abrigam logo, por certo, outro traste!

VII

Degusta en viaje, sin  qualquer alarde;

com pouca graxa, com pimenta e sal;

o fiambrezito que é mui especial

pra um pandilheiro, traidor, covarde!

VIII

Não vem do acaso, o cenário reinante;

nem é ironia, o que o contexto encerra;

te vais daqui mas, não irás pra terra

que um dia, há muito, te vendeu distante!

IX

Ainda é tempo, pobre criatura;

de reparares a escolha feita;

aqui nos viemos pra pouca colheita

e muito mais pra fazer semeadura!

Orci Machado – SLG 14/07/2017

Neste caso, biambre é um preparado para ser comido durante a viagem. No tempo da carreta de bois,das viagens a cavalo ou de trem, especialmente, preparava-se lingüiça, galinha ou outros tipos de carnes enfarofadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *