Chuvas atingem 21 cidades e duas pessoas morrem em Santa Catarina

Região Norte da Ilha é a mais afetada pelos temporais

Duas pessoas morreram em decorrência das chuvas que atingem Santa Catarina desde a última segunda-feira. De acordo com a Defesa Civil catarinense, um homem teve o corpo encontrado submerso, nesta quinta-feira, próximo a um bueiro, em Florianópolis. Ainda não identificado, ele morreu devido a um traumatismo craniano. Na noite de ontem, uma menina de 8 anos morreu atingida por uma árvore em São João Batista, e não resistiu. Uma amiga dela, de 13, ficou ferida, mas não corre risco. Outras duas pessoas seguem desaparecidas, uma em Balneário Camboriú e outra em Florianópolis.

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (PMDB), decretou situação de emergência nessa manhã. A instabilidade na região, segundo previsões de meteorologistas, só deve diminuir no sábado.

A maior preocupação é em relação aos alagamentos e deslizamentos, principalmente em rodovias da malha estadual. O prefeito entrou em contato com a Base Área da cidade solicitando a liberação do acesso Sul da Ilha, que é de jurisdição das Forças Armadas, para que o trânsito possa ser escoado. Todas as rodovias estaduais localizadas em Florianópolis tiveram, pelo menos, um ponto de alagamento.

Somente nas últimas 48h, 21 municípios foram afetados pelas chuvas. Em Florianópolis choveu mais de 300mm, volume que supera a média esperada para o mês de janeiro. Somente na estação de Carijós, no Norte da Ilha, o total de chuva ficou em 400mm – o dobro do previsto para o mês inteiro.

Os dados da Defesa Civil apontaram 485 desalojados (em casas de amigos e parentes), cinco desabrigados (em abrigo público), 3.751 afetados, 937 residências atingidas, dois mortos, dois desaparecidos e um ferido.

A orientação é para que os cidadãos saiam de casa apenas em caso de necessidade, principalmente na região metropolitana de Florianópolis e demais cidades do litoral. Os últimos boletins emitidos pela Defesa Civil informaram previsão de pancadas de chuva moderadas a fortes e condições de chuva persistente. A principal preocupação é com os deslizamentos de terra.

Fonte: Rádio Guaíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *