Justiça identifica autores de ameaças a magistrados do TRF4

Juízes federais criticaram “alarde desnecessário” em torno de julgamento de Lula

Desembargadores sofreram ameaças, conforme TRF4 | Foto: Sylvio Sirangelo / TRF4 / CP

A Associação dos Juízes Federais (Ajufe) informou nesta segunda-feira que o Ministério da Justiça assegurou já ter identificado os responsáveis por ameaças aos desembargadores que vão julgar o recurso do ex-presidente Lula no próximo dia 24. A Polícia Federal realizou um trabalho de inteligência para investigar se as ameaças contra os juízes da 8ª turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) são reais, mas não divulgou detalhes das conclusões.

Inicialmente, foi informado que o caso seguiria para o Ministério Público Federal, o que foi desmentido pelo ministro da Justiça Torquado Jardim à noite.

Conforme o presidente da Ajufe, Roberto Veloso, o ministro Torquato Jardim repassou a informação em reunião realizada hoje para debater o tema da segurança no entorno e edifício do TRF4 na próxima semana, quando ocorre o julgamento. A entidade protocolou um pedido de segurança reforçada para os desembargadores junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Agora cabe à Procuradoria-Geral da República apurar e tomar providências acerca dos responsáveis pelas ameaças, explicou o presidente da Ajufe: “As ameaças estavam sendo feitas publicamente, pela internet. Inclusive recebi o áudio e um vídeo de duas pessoas convocando essa manifestação na qual iria haver depredações e até ameaças a integridade física dos magistrados. Por isso é que nós fizemos o requerimento”, explicou Veloso à reportagem da Agência Estado.

“Candidatura não está em julgamento”

Já em relação à preocupação dos apoiadores acerca da candidatura do ex-presidente, Veloso disse que há um alarde desnecessário entorno do tema, o que somente alimenta o clima de beligerância. “O alarde está sendo feito pelas pessoas que acham que ele será preso ou não será mais candidato. Porém, não é isso que vai acontecer. O tribunal vai decidir a causa, mas haverá enorme possibilidade de recursos. A questão da candidatura dele será decidida somente lá em agosto. Assim, se faz um alarde a respeito do julgamento, mas a candidatura dele não está em julgamento”, explicou.

Também nesta segunda, o presidente do TRF4, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, esteve reunido com a presidente do Supremo Tribunal Federal e do CNJ, ministra Carmem Lúcia, para debater o reforço da segurança na semana do julgamento. O desembargador Thompson Flores não conversou com a imprensa.

CP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *